“Moderno Escondido” #1 – A igreja

A política de electrificação do país nos anos 50 promoveu a construção de numerosas barragens no leito de alguns dos mais importantes rios portugueses. A Hidroeléctrica do Douro contou com a participação de um conjunto de arquitectos recém formados na Escola de Belas Artes e voluntariamente dedicados à Arquitectura Moderna – João Archer de Carvalho, Nunes de Almeida e Rogério Araújo Ramos. As construções das barragens do Douro Internacional, divulgadas na exposição “Moderno Escondido”, são um testemunho da vontade transformadora da arquitectura no interior do país e de uma colaboração estreita e frutuosa entre arquitectos e engenheiros.

Na visita efectuada ao conjunto habitacional da Barragem do Picote houve duas coisas que me chamaram particularmente a atenção: o estado de abandono confrangedor a que está votado e a pequena igreja (essa sim, bem conservada) com relevo para as figuras que a decoram.

Aqui ficam as primeiras fotos.

Clicar na imagem para ver em tamanho maior

Clicar na imagem para ver em tamanho maior

Explicação: Houve um trabalho feito sobre as imagens, pelo que as cores não correspondem às reais.Não pretendo publicar própriamente uma reportagem mas antes a forma como vi.

Páginas: Património, Trás-os-Montes, Abandonos

~ by Dionisio Leitão on March 5, 2007.

 
%d bloggers like this: