Ary’s de Revolução #1

Realizou-se ontem na Biblioteca Municipal de Cascais, em S. Domingos de Rana, mais uma das sessões mensais de Noites com Poemas. Esta dedicada a Ary dos Santos. Um convívio informal, sem ordens de trabalhos, em que cada um diz, ou canta, os poemas que quiser (não é necessário serem do poeta a que se refere a sessão, muitos são originais dos presentes) e quando lhe apetecer. Uma noite que foi também uma lição de vida para mim, daquelas que nos obrigam a olhar para dentro e colocar no devido lugar aqueles nossos grandes/pequenos problemas do dia a dia. Fica aqui o meu agradecimento por isso e, sem demérito para qualquer dos outros presentes, em especial ao Baptista Coelho e ao Jorge Casimiro.

Aqui ficam algumas fotos bem como dois poemas do Jorge Casimiro, um escrito e outro dito que retirei do seu CD “ternasalquimias”.

Clicar nas imagens para ver em tamanho maior

Jorge Castro

Cristina Vieira

Ana Bela Duarte

Baptista Coelho

quando choro

quando choro
todos os rios do mundo chovem no meu corpo
todos os amores represados desaguam no meu corpo

todos os amanheceres me anoitecem no olhar

por isso
aqui fico
navio soterrado na margem

assim

de braços calados

sem lágrimas

Jorge Casimiro in “murmurios ventos”, edição Jorge Casimiro e Pássaro de Fogo, 2006
O livro pode ser encomendado para a
Pássaro de Fogo

a descompasso (para ouvir)

[splashcast BFQK1584JB]

Poema de Jorge Casimiro in “ternasalquimias” (CD), dito por António Jorge Marques, música original de João Lucas

~ by Dionisio Leitão on April 19, 2007.

 
%d bloggers like this: